segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

As Treze Qualidades das Sábias

foto: painel azulejado (Ilha da Madeira/Portugal)

1. Elas não se queixam! Aceitam que o que foi, foi e não pode ser mudado e o que interessa é daqui para frente. Não quer dizer que não expressem dor, mas não se lamentam, não se veem nem agem como vítimas.

2. São atrevidas, tem coragem de experimentar o novo, a buscar o não vivido, o não conhecido.

3. “Tem mãos para as plantas”, concreta e metaforicamente. “Plantam, regam e acompanham o crescimento” de plantas, pessoas, projetos...

4. Confiam em seus pressentimentos/ em sua intuição, honram sua sabedoria interna.


5. Meditam a sua maneira, cultivam um centro interno de silêncio e escuta, de prece e reconexão com o Sagrado.

6. Defendem com firmeza o que mais importa, descobrem sua voz e tendem a tornar-se mais rebeldes e radicais com tudo que consideram errado no mundo.

7. Decidem seu caminho com o coração, mesmo que esse caminho seja difícil.

8. Dizem a verdade com compaixão, mas dizem sempre a verdade, porque sabem que só a verdade cura e liberta.

9. Escutam seu corpo, não o veem como um objeto a ser aperfeiçoado, mas como um instrumento de prazer e auto conhecimento.

10. Improvisam, agem com espontaneidade, fluem com a vida.

11. Não imploram, não fazem NADA com a finalidade de serem aceitas.

12. Riem juntas, riem de si e com isso nutrem um profundo senso de irmandade, porque é um riso que expressa o triunfo do espírito e da alma sobre aquilo que poderia tê-las destruído ou as convertido em mulheres amargas .

13. Saboreiam o positivo da vida, sabem ter gratidão pela beleza da vida, mesmo que mesclada de sofrimentos.

(Colhido no mural de Wild Gwen)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vou adorar ler seu comentário, além é claro, do prazer enorme de saber que passou por aqui.