sexta-feira, 31 de julho de 2015

Alberto Campos - Fernando Pessoa

Gosto desse poema de Alberto Campos (um dos pseudônimos de Fernando Pessoa) porque me faz lembrar o filme Efeito Borboleta que, a meu ver só o 1 é bom.
Quando assisti pela primeira vez fiquei tão impactada que o filme acabou e eu continuei grudada na cadeira esperando a segunda sessão para assistir novamente. 
Efeito Borboleta 2 e 3 não recomendo.

Na Noite Terrível
[...] 
Se tudo isso tivesse sido assim,
Seria outro hoje, e talvez o universo inteiro.
Seria insensivelmente levado a ser outro também.

Mas não virei para o lado irreparavelmente perdido,
Não virei nem pensei em virar, e só agora o percebo;
Mas não disse não ou não disse sim, e só agora vejo o que não disse;
Mas as frases que faltou dizer nesse momento surgem-me todas,
Claras, inevitáveis, naturais,
A conversa fechada concludentemente,
A matéria toda resolvida...
Mas só agora o que nunca foi, nem será para trás, me dói.
[...]
Mas poderei eu levar para outro mundo o que me esqueci de sonhar?
Álvaro de Campos, in "Poemas"

Heterónimo de Fernando Pessoa


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vou adorar ler seu comentário, além é claro, do prazer enorme de saber que passou por aqui.