Pular para o conteúdo principal

O Chefe Espião (Undercover Boss).

Vários canais da TV por assinatura vêm transmitindo um reality chamado Undercover Boss, ou “O Chefe Espião”.
No episódio que assisti, o diretor presidente da Direct TV apresentava-se aos demais operários disfarçado de empregado novo passando a acompanha-los no desempenho de suas tarefas diárias para “aprender o serviço”. O “chefe espião” seguiu desde o instalador, nas residências, até o pessoal de telemarketing da sua empresa.
Na série, diversos empresários usam o mesmo disfarce para conhecer seu negócio a fundo. Eles querem ouvir de quem “mexe na massa” as dificuldades que enfrentam no dia-a-dia, além de entrar em contato direto com seus clientes para aprimorar o atendimento.
Vivenciando todo processo, eles conseguem identificar o que está impedindo seu empreendimento de prosperar tornando-se mais produtivo, moderno e rentável.
É importante destacar que esses empresários não tentaram enganar-se mascarando os problemas, nem procuraram conhecer a realidade pela ótica dos diretores, instalados em gabinetes distantes dos operários. Tampouco foram buscar as informações sobre seus negócios em livros de doutores no ramo.
Eles agiram exatamente ao contrário dos responsáveis pela educação deste país. Para estes, se o IDEB (*) foi insatisfatório, é preciso consultar teóricos, economistas, jornalistas, filósofos, sociólogos, políticos, enfim, pessoas que não atuam na área, com formação diferente da do professor e que passaram por uma sala de aula décadas atrás.
Ao invés de:
- rotular todos os seus funcionários de incompetentes como fazem sistematicamente com nossos professores;
Ou de:
- investir fortunas em cursos de capacitação superfaturados para melhorar o desempenho do que definem como “equipe de incompetentes”,
Esses empresários foram vivenciar, junto com seus operários, todas as etapas do processo a fim de “sentir na própria pele” o que enfrentam. Verificando tudo pessoalmente eles foram saber se são mesmo “todos uns incapazes” ou se outros fatores interferiam  dificultando o desempenho da equipe.
Não digo que o ministro da educação ou o governador de estado devam sair de seus respectivos gabinetes para acompanhar, clandestinamente, a jornada de um professor em sala de aula penso, porém, que poderiam, a exemplo dos chefes espiões, ouvir os que diariamente atuam nas classes de ensino fundamental – os professores primários. Com essa simples mudança de postura, fariam intervenções bem mais produtivas e satisfatórias em se tratando de questões pedagógicas.
Mas, pela maneira como agem, chego a pensar que procuram esquivar-se da verdade.  Pode ser também que a situação da educação brasileira do jeito que está seja melhor para eles em período eleitoral...
O que pensar de políticos que, nos palanques, prometem investimentos sérios em educação, mas que depois de eleitos não ouvem o professor, preferindo consultar, por exemplo, jornalistas, economistas, políticos e empresários, para que estes “prescrevam” soluções para o ensino fundamental? Com uma formação profissional tão diferente e com uma vivência socioeconômica tão distinta do dia a dia das comunidades que a escola pública atende, fica difícil para essas pessoas sequer imaginarem a dura realidade dessas salas de aula superlotadas de alunos e problemas.
Os professores, neste país, não passam de uma massa anônima sem vez e sem voz, que se vê obrigada a cumprir ordens de pessoas sem vivência no assunto. Pior: quando essas “inovações” (impostas de cima para baixo) produzem alunos cada vez mais incapazes os professores são responsabilizados publicamente pelo fracasso e rotulados enfaticamente nos meios de comunicação de incompetentes, relapsos, faltosos, desatualizados, despreparados etc.
Já soube, através de professores, de coisas como estas:
- verbas para educação sendo gastas em cursos de “capacitação” e “atualização” ridículos, em que fortunas são pagas às firmas que organizam esse tipo de “treinamento”...
- verbas para educação sendo gastas com uniformes para os alunos. Será que uma simples troca de roupa vai resolver problemas de aprendizagem?
- verbas para a educação sendo gastas com material didático como: livros com erros grosseiros, cadernos caros de capa dura, para serem doados aos alunos.
- verbas da educação sendo gastas com provas elaboradas por universidades e aplicadas a toda rede de ensino, recheadas de perguntas aos alunos, sobre o trabalho do professor (para saber se  de fato eles estão dando aula, explicando a matéria etc.).
Finalmente, me responda o seguinte:
- Você iria a um mecânico para sanar seu problema de má digestão?
- Você procuraria uma costureira para projetar sua casa?
Aposto que não. 
Então por que quando o assunto é educação os professores não podem opinar?
Entende agora porque desconfio tanto de boas intenções no que se refere à educação neste país?

 (*) Índice de Desenvolvimento da Educação Básica ( Ideb ) é um indicador criado pelo governo federal para medir a qualidade do ensino no Brasil.

By Pinterest

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conserva de Pimentão Assado.

O pimentão sem a casca não é indigesto e ainda por cima fica adocicado e muito saboroso. Minha mãe fazia essa conserva e resolvi tentar. Fiz uma usando pimentões vermelhos e outra bem patriota, com pimentões verdes e amarelos.
Ingredientes: Pimentões; Sal; Pimenta calabresa; Azeite; Alho. Louro, orégano, alecrim e tomilho fresco.
Preparo: Esterilizei um vidro com tampa, colocando-o em água fervente, sem a tampa por alguns minutos. Retirei e deixei esfriar naturalmente sobre um pano de prato limpo com a tampa e o bocal voltados para baixo. Enquanto eles esfriavam lavei bem os pimentões.  Coloquei numa assadeira forrada com papel alumínio e um pouco de água. Deixei no forno baixo virando de vez em quando até que a pele escureceu por igual. Com esse procedimento a pele soltou facilmente. Retirei e deixei esfriar.   Depois, abri os pimentões com um corte vertical, separando-os em duas bandas. Retirei as sementes, reguei com azeite, sal e pimenta. Finalmente inseri as tiras de pimentão no …

Estrelas em Ponto Cruz

Garimpado no Pinterest