sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Escola de Tempo Integral.



Tenho visto na TV uma propaganda política  (repetida diversas vezes em horário nobre) prometendo escola de tempo integral, para angariar o voto das mães que trabalham fora. Isso me fez recorda uma passagem dos meus tempos em sala de aula.
Certa vez, numa reunião de pais, comuniquei aos presentes que não haveria aula na segunda-feira pois o prefeito havia decretado ponto facultativo.
Diante da notícia uma mãe surtou e bradou colérica:
- Com quem vou deixar meus cinco filhos? Tenho de trabalhar para sustentar minha casa. Meu marido fugiu e, desde então, crio minhas crianças sozinha!
Não posso tirar a razão da mãe. É complicado deixar cinco menores sozinhos, entregues à própria sorte durante um dia inteiro. Até porque, se acontece alguma coisa com eles, os pais serão responsabilizados.
Por outro lado:
1 – a escola não é creche e não está equipada para funcionar como tal;
2 - os professores não são pajens. A função dos docentes é ensinar e não “tomar conta” ou “entreter” crianças; 
3 - nossa formação acadêmica foi direcionada no sentido de viabilizar a aprendizagem , da forma mais acessível e abrangente possível  - e é exatamente isso que nos cobram;
4 – a escola  não pode ser transformada num simples depósito de crianças;
5 – submeter os alunos a uma sala de aula lotada , com uma professora mal paga, cujo único recurso didático é o giz branco e o apagador, por um dia inteiro seria totalmente antipedagógico e contraproducente para ambas as partes.
O que fazer então com as crianças fora da idade da creche e que não tem com quem ficar ? Onde e com quem “deixar” esses menores?

Um comentário:

  1. Ao invés de fazer escolas de tempo integral deveriam fazer propagandas de laqueadura grátis! Com 5 filhos fica difícil mesmo!

    ResponderExcluir

Vou adorar ler seu comentário, além é claro, do prazer enorme de saber que passou por aqui.