sábado, 7 de dezembro de 2013

Bondade Sem Sabedoria

Certa vez me deparei com o texto sobre uma família japonesa que plantou vários pés de cerejeira no quintal de sua casa. 
Eles cuidaram, adubaram, podaram, regaram, enfim trabalharam muito no pomar até que, depois de uma linda florada, as frutinhas vermelhas surgiram.
Feliz, a família saboreou os frutos e, com o que sobrou, fez algumas cestas para presentear os amigos.
No ano seguinte, os vizinhos pediram e a generosa família permitiu que e eles entrassem no jardim para colher as cerejas diretamente do pé.
Porém, com o tempo, a situação mudou. Os visitantes foram ficando tão à vontade que já entravam sem permissão, pegavam o que queriam, pisoteavam o que caia  ao chão, deixavam as árvores "peladas" e ainda sujavam todo quintal.
A bondosa família já nem conseguia provar das frutas que, com seu trabalho e dedicação cultivavam no pomar da casa.  
Mal as primeiras cerejas surgiam, como uma nuvem de gafanhotos, as pessoas entravam e colhiam tudo saindo sem ao menos agradecer...
Essa história foi escrita para mostrar um exemplo de bondade sem sabedoria. Eles não impuseram limites e os maus foram aproveitando-se da generosidade daquelas pessoas, até chegar ao ponto de usurpar-lhes o direito a saborear as frutas que haviam plantado e cuidado por tanto tempo e com tanta dedicação.

Frases relacionadas:

“A bondade deve estar ligada ao saber. A simples bondade pouco adianta; é o que tenho constatado”. Mahatma Gandhi

Há um limite, além do qual cessa de ser virtude a paciência”. Edmund Burke


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vou adorar ler seu comentário, além é claro, do prazer enorme de saber que passou por aqui.